QUOTE SEMANAL

“É assassinato se você desiste e deixa acontecer? Estou tão cansada de fugir, de me esconder, de sentir tanto medo.” — OS CRIMES DO MONOGRAMA, Agatha Christie

Resenha - O Conde Enfeitiçado | Julia Quinn

       Certa noite na antiga Londres, Francesca Bridgerton sai para passear com seu melhor amigo, Michael Stirling, primo de seu marido John, Conde Kilmartin, mas o que ela não sabia era que muita coisa ainda estaria por vir. 

              Michael sempre tivera a fama de "O Devasso Alegre" pelo seu carisma e por sempre acabar na cama com uma bela donzela. No entanto, mal sabiam as pessoas que ele era libertino para poder esquecer o verdadeiro amor de sua vida: Francesca. Isso mesmo, a esposa de seu primo, o qual ele tanto amava e admirava por tê-lo acolhido em sua casa quando perdera seu pai. Por esses motivos, Michael nunca revelara seu grande amor pela jovem.

Foi então que naquela noite tudo mudou. Uma - aparentemente - simples dor de cabeça levara Jonh a óbito. Naquele momento ninguém sabia o que fazer, afinal, John era quem tomava conta de tudo. Michael não soube lidar com a perda de seu primo, que considerava um irmão, e nem com a pressão do condado. Ele era o parente mais próximo de Jonh para assumi-lo e, com todos esses acontecimentos, Michael largou tudo e foi viver na Índia.

Dilema - Qual profissão seguir

      No último fim de semana, 24 – 25 de outubro/2015, aconteceu o Exame Nacional do Ensino Médio – mais conhecido como ENEM. Com isso, decidi vir aqui compartilhar com vocês sobre a minha difícil escolha de qual carreira seguir. A todo o tempo colegas/conhecidos também me relatam a mesma situação, então pra começo de conversa não se desespere, não somos os únicos! Ainda que esteja cursando 4º período, ou que já tenha concluído seu curso, nunca é tarde pra recomeçar.

         Esse tal “ter que” escolher uma profissão, sempre foi muito complicado pra mim. Por exemplo, já pensei em ser: comissária de voo, bióloga marinha, atriz, artista circense, veterinária, piloto de avião, médica, maquiadora, fotógrafa, policial, bombeira, advogada e por aí vai, mas nada disso se concretizou. No entanto, a primeira profissão que escolhi foi sempre a que falou mais alto. Aquela sensação de liberdade, de estar cada dia em um lugar, sem rotinas e com uma caixa de surpresas repletas de novas experiências: comissária de voo, um sonho um tanto distante pra mim ainda; desde pequena sou gordinha e isso sempre afetou a minha vida diretamente, como vocês podem ver, esse é um grande exemplo. Nesse caso seria impossível entrar pra área, até que certo dia, ainda no ensino médio enquanto me lamentava com a minha mãe, ela então me questionou: 'por quê não fazer faculdade de turismo?' Alegando que já seria um Q a mais no currículo e, futuramente, quando conseguisse atingir o tal “corpo ideal” entrar para a aviação. OBS: Se a sua mãe falou, faça! No fundo ela sempre tem razão. Bom, foi dessa forma que eu conheci o turismo, mas a história não para por aí.

Resenhas: prefiro não fazê-las

Resenhas: prefiro não fazê-las
por Bárbara Marra

           Confesso que evito fazer resenhas de livros. Leio muito, escrevo sobre literatura, mas tenho dificuldade em falar sobre as obras que leio, tanto para elogiar, quanto para criticar. Quando indico um livro a um aluno ou amigo apenas digo: “é ótimo!” ou “você vai amar!”, assim bem vago. Ao refletir sobre essa dificuldade não foi difícil concluir que meu problema é mesmo o respeito. Isso mesmo. Respeito tanto uma obra literária que acho uma ousadia rebaixá-la à pequenez das minhas palavras. Não estou à altura dos meus ídolos. Não posso diminuir Hemingway à minha linguagem parca e pobre. Temo que algum leitor do meu texto julgue o escritor com base na minha falta de inspiração. Gostaria de indicar leituras de Clarice ao mundo todo, mas infeliz dela se lesse minha humilde resenha, com esse vocabulário pobre e esses sentimentos tão rasos. Logo ela que nos afunda na mente e nos sentimentos humanos de forma a nunca mais nos permitir voltar à tona. 

Resenha - Sabores do Mar | Pulp Edições

       Sabores do Mar se trata de uma obra literário-gastronômica, tendo como objetivo apresentar ao leitor bons, e variados, restaurantes de peixes e frutos do mar ao redor do mundo (com endereços), receitas, dicas de temperos que não podem faltar (salsa, açafrão, pimenta-rosa, colorau, pimenta-do-reino, páprica, curry etc), boas pedidas de acompanhamentos, auxílio na escolha para comprar lagostas, peixes, camarões e moluscos, temos noções básicas de regras de etiquetas, passamos a conhecer vinhos - desde a qualidade à sugestão de rótulos - entre outros.

Algumas curiosidades também são citadas: Você sabia que o limão deve ser usado somente na hora de servir? Também não se pode deixar ferver camarões e lulas, e nem cortar os tentáculos do polvo antes de cozinhá-lo. O ato de conservar peixes e frutos do mar requer um certo cuidado.

                 Atualmente estamos vivendo uma febre de foodtrucks e programas televisivos de gastronomia, como por exemplo "A Cozinha de Nigella", "MasterChef" e "Que Marravilha!". E aproveitando a onda resolvi resenhar este maravilhoso guia culinário onde somos conduzidos do fundo do mar ao prato pronto. Quem nos acompanha nas redes sociais sabe que somos apaixonadas por turismo - nossa área de estudo e profissão - e gastronomia - um amor antigo e muito, muito presente em nossas vidas. Imagina quando duas amigas blogueiras se deparam com um livro falando da gastronomia marinha do mundo a fora? Pura alegria.