segunda-feira, 29 de abril de 2013

Resenha - A Culpa é das Estrelas | John Green


Começo essa resenha com a famosa frase de Vinícius de Moraes:

"Amar, porque nada melhor para a saúde que um amor correspondido." 
Vinícius de Moraes

Hazel é uma adolescente de dezesseis anos, porém, com um diferencial: tem  câncer de tireoide com metástase nos pulmões desde os treze anos. Ultimamente encontrava-se deprimida, lia o mesmo livro diversas vezes, não fazia questão de comer e sair de casa. Frequentava o Grupo de Apoio para Crianças com Câncer uma vez por semana, às quartas-feiras, o qual era liderado por Patrick, grande inspirador para sua mãe. 

"Contei ao Augustus a versão resumida do meu milagre: diagnosticada com câncer de  tireóide em estágio IV aos treze anos (Não contei que o diagnostico veio três meses depois da minha primeira menstruação. Tipo: Parabéns! Você já é uma mulher. Agora morra.) E foi o que disseram, é incurável."

Certo dia Hazel desistiu de ir ao Grupo de Apoio, estava farta daquilo tudo e já começava a dar sinais de depressão. Uma das suas desculpas foi ficar para assistir a maratona de doze horas da temporada anterior de America's Next Top Model, que já estava no meio da terceira temporada. Após sua mãe insistir, a incentivando a fazer novos amigos, ela decide ir.

Hazel, ao sair do carro e se despedir de sua mãe, Sra. Lancaster, pegou um pouco de limonada num copo descartável e um biscoito, e subiu as escadas - porque achava que subir pelo elevador era quem estava nos seus "Últimos dias no Grupo de Apoio" -, enquanto um garoto olhava fixamente para ela. Eles não se conheciam, mas o olhar dele queria dizer alguma coisa, algo que ela estava disposta a descobrir.

Algum tempo depois, cada integrante do grupo foi se apresentando. Eis que chega a vez daquele belo rapaz, Augusto Waters, de dezessete anos, ex-jogador de basquete e que sofre de osteossarcoma (o motivo da perda de sua perna) há um ano e meio. Também é amigo do Isaac, quem o convidou para o Grupo.

Resumindo: O casal se conheceu em um grupo formado por jovens que acreditam que podem superar o câncer, se conhecem e se apaixonam com o tempo. Hazel indica um bom livro à Augustus, Uma Aflição Imperial (também chamado de UAI), escrito pelo autor Peter Van Houten. Hazel sempre enviava cartas ao autor, mas nunca obteve sequer uma resposta. Após Augustus ler o livro, ficou fascinado pela estória. Ambos decidem se aventurar viajar até a Holanda, claro, junto com a mãe de Hazel, graças a um convite do autor, que ficou mega empolgado com o e-mail que o Augustus enviou e logo foi respondido. Alguns contra-tempos aconteceram, e o casal também conheceu o Anne Frank Museum Amsterdam, acompanhados pela ex-secretária de Peter, Lidewij. A viagem à Amsterdã não foi como eu imaginava, mas superou as minhas expectativas, apesar de eu estar decepcionadíssima com o Peter Van Houten. Eles aproveitaram bastante (em todos os sentidos: com direito a sexo e champagne) essa primeira e última viagem do casal.

"[...] Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim,e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o Sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você."

Na boa, depois de A Culpa é das Estrelas, eu leria até a lista de compras de supermercado do John Green.

Sobre o Autor

John Green cresceu em Orlando, Flórida, a uma pequena distância da Disney World. Se mudou para Ohio para cursar a universidade, onde estudou Inglês e Religião. Por vários meses após se graduar, John trabalhou como capelão em um hospital infantil. Enquanto estava lá, teve a inspiração para escrever seu primeiro romance, Quem é você, Alasca?, que se tornou um bestseller nos Estados Unidos e ganhou muitos prêmios literários, como o Michael L. Printz Award nos EUA e o Silver Inky Award na Austrália. O segundo romance de John, An Abundance of Katherines, foi publicado em 2006 e se tornou finalista do Los Angeles Times Book Prize e também nomeado livro de honra do Michael L. Printz. Paper Towns, publicado nos EUA em 2008, estreou em quinto lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times e ganhou o Edgar Allan Poe Award pelo melhor romance de mistério. Em 2009, Paper Towns foi eleito em primeiro lugar por mais de 11 mil leitores no Top 10 dos Adolescentes da American Library Association.


No seu tempo livre, John é um grande fã do Campeonato Inglês de Futebol, mas ele não fala para que time torce, porque não quer alienar possíveis leitores. Ele admite, entretanto, ficar arrepiado toda vez que ouve: "You'll Never Walk Alone" (Você nunca andará sozinho).


23 comentários :

  1. amei a resenha
    gosto de livros assim
    que inspiram a gente
    bezos
    http://guriabunitabykhen.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a resenha, não tinha visto este livro ainda, mas me pareceu bem legal de ler ^^

    bjs bjs flor

    Style Drops

    ResponderExcluir
  3. Uma resenha instigadora para o incentivo da leitura! Obrigada!
    Bj. Célia.

    ResponderExcluir
  4. Já li este livro e amei demais, ótima resenha, retrata realmente tudo aquilo que li. Essa historia nos leva a uma viagem profunda, dentro dos nossos próprios pensamentos... Estou de volta e com blog novo e seguindo você, me segue de volta ? ( Dá uma olhadinha lá no conteúdo pra ver se gosta ) http://rafabacelar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. ainnn tenho que lero *.*



    http://simplesmenteassimj.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Caramba que livro emm .. O que posso dizer? Odiei e amei ele ao mesmo tempo..
    Odiei porque o autor não contou o final.. eu queria saber o que ia acontecer com os personagens.. realmente pensei que o meu livro veio com páginas faltando exatamente como em aflição imperial!!
    Porém é um livro que te ensina e te mostra as belezas e os prazeres da vida e que ainda existem pessoas que viveriam e morreriam por você .. Desse livro levo uma grande lição e as minhas melhores lembranças, recomendo a leitura, chorei do inicio ao fim ... Obrigada John Green!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo, Mandinha! O John Green acaba se tornando um Peter Van Houten da vida. Mas sem dúvidas é um livro lindo!

      Abraço

      Excluir
  7. Muito bom o livro , li e me apaixonei , é tão perfeito

    ResponderExcluir
  8. Excelente obra, imperdível de se ler, recomendo a todos e quem quiser mais informações veja no site:
    http://aculpaedasestrelas.com

    ResponderExcluir
  9. Excelente obra, imperdível de se ler, recomendo a todos e quem quiser mais informações veja no site:
    http://aculpaedasestrelas.com

    ResponderExcluir
  10. "Na boa, depois de A Culpa é das Estrelas, eu leria até a lista de compras de supermercado do John Green." Sem Dúvidas !

    ResponderExcluir
  11. Muito bom!!! Se alguém tiver interesse, temos alguns modelos de imãs, caixinhas e chaveiros com trechos do livro. Vejam http://www.minhavoquedeu.com.br/index.php?route=product/product&product_id=84

    ResponderExcluir
  12. nome do livro q hazel mais gostava ?

    ResponderExcluir
  13. Quero tanto ler esse livro poxa :(

    ResponderExcluir
  14. O livro em si, é maravilhoso e não há palavras para expressar a felicidade e contentação em ler uma obra tão boa, que chego a chorar de tanta emoção!
    Ao escritor, continue essa pessoa que consegue enxergar a beleza mesmo na dor, pois "o problema da dor é que ela precisa ser sentida".

    ResponderExcluir

O que você achou da postagem?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...